O Padrão da Raça - Akc  

Aparência Geral

O Retriever do Labrador é um cão de
 constituição forte, tamanho médio, tronco curto possuindo uma

conformação sólida, atlética, bem equilibrada que habilita sua função

de retriever; a estabilidade e a resistência para caçar .

Na água ou na terra por longas horas em condições difíceis; a personalidade e qualidade para vencer nas pistas de exposição; e o temperamento para ser companhia para a família. As características físicas e mentais denotam um cão criado para desempenhar a função de retriever com o temperamento estável, ideal para desempenhar uma variedade de funções no ambiente de caça. As características mais peculiares do Labrador são a sua pelagem curta, densa e resistente às intempéries; a "cauda de lontra"; a cabeça de formato bem definido, com o crânio largo, e um stop moderado; maxilares fortes; e seus olhos amigos e "ternos", expressando personalidade, inteligência e bom temperamento. Acima de tudo, o Retriever do Labrador, deve ser bem equilibrado, habilitando-o tanto para se movimentar nas pistas de exposições, como para trabalhar no campo, com pequeno ou nenhum esforço. O Labrador típico possui estilo e qualidade sem excesso de refinamento, e substância sem excesso de peso ou gordura. O Labrador é criado antes de qualquer coisa como um cão de caça; estrutura e resistência são de grande importância.

Tamanho, Proporção e Substância
Tamanho: O tamanho na cernelha para os machos é de 22½ a 24½ polegadas (57,1 a 62,2 cm); para as fêmeas é de 21½ a 23½ polegadas (54,6 a 59,7 cm). Qualquer variação maior que ½ polegada (1,3 cm) acima ou abaixo destas medidas é desqualificante. O peso aproximado dos exemplares em condições de trabalho: machos de 65 a 80 libras (29,483 a 36,287 Kg); fêmeas de 55 a 70 libras (24,947 a 31,751 Kg). Os intervalos de altura listados acima não se aplicam a exemplares com menos de doze meses de idade.

Proporção: Tronco curto; o comprimento da espádua à cabeça do fêmur deve ser igual ou ligeiramente mais longo que a distância da cernelha ao chão. A distância do cotovelo ao chão deve ser igual à metade da distância da cernelha ao chão. O peito deve alcançar os cotovelos, sem ser perceptivelmente mais profundo. O corpo deve ter comprimento suficiente para permitir uma movimentação reta, livre e eficiente; mas o cão nunca deve aparentar ser baixo e longo ou alto e pernalta em linhas gerais.

Substância: A substância e a ossatura devem ser harmônicas com o cão em geral. Exemplares leves e delicados são definitivamente incorretos; igualmente desagradáveis são exemplares atarracados. Os Retrievers do Labrador devem ser, em condições de trabalho, musculosos e sem excesso de gordura.

Cabeça
Crânio: O crânio deve ser largo, bem desenvolvido, mas sem exagero. O crânio e o focinho devem estar em planos paralelos e devem ter o mesmo comprimento. Deve haver um "stop" moderado - a testa levemente pronunciada de maneira que o crânio não esteja absolutamente em uma linha reta com o focinho. A aresta da testa ajuda a definir o "stop". A cabeça deve ter um desenho definido e livre de bochechas carnudas; a estrutura óssea do crânio é esculpida sob os olhos sem protuberâncias nas bochechas. O crânio pode mostrar algumas linhas intermediárias; o osso occipital não é ressaltado em exemplares maduros. Lábios não devem ser encolhidos ou pendurados, mas são portados caídos em uma curva em direção à garganta. A cabeça em formato de cunha, ou longa e estreita no focinho e na parte posterior do crânio é incorreta, assim como cabeças pesadas e toscas. Os maxilares são fortes e livres de recortes - o focinho não deve ser longo e estreito nem curto e largo.

Trufa: A trufa deve ser larga e as narinas bem desenvolvidas. A trufa deve ser preta nos cães pretos ou amarelos, e marrom nos chocolates. A trufa de um tom mais claro não é uma falha. Trufa completamente rosada ou despigmentada é desqualificante.

Dentes: Os dentes devem ser fortes e regulares com a mordida em tesoura; os incisivos inferiores logo atrás, mas tocando o lado interno dos incisivos superiores. A mordida em torquês é aceitável, mas não desejável. Prognatismo, retrognatismo ou dentes desalinhados são falhas sérias. A dentição completa é preferida. A falta de molares ou pré-molares são falhas sérias.

Orelhas: As orelhas devem ser portadas caídas, moderadamente rentes à cabeça, preferencialmente inseridas bem atrás, e de certa forma, baixas no crânio; ligeiramente acima do nível dos olhos. As orelhas não devem ser grandes e pesadas. Devem ser proporcionais ao crânio, e devem alcançar a parte interna dos olhos quando puxadas para frente.

Olhos: Olhos ternos e amigos transmitindo bom temperamento, inteligência e atividade são uma marca registrada da raça. Eles devem ser de tamanho médio, inseridos bem espaçados, nem esbugalhados, nem inseridos profundamente. A cor dos olhos deve ser marrom nos exemplares amarelos, pretos ou chocolates, podem ainda ser avelã nos chocolates. Olhos pretos ou amarelos dão uma expressão cruel e são indesejáveis. Olhos pequenos, inseridos próximos ou redondos e salientes não são típicos da raça. As bordas das pálpebras devem ser pretas no exemplares pretos e amarelos; e marrons nos chocolates. Bordas das pálpebras sem pigmentação são desqualificantes.

Pescoço, Dorso e Corpo
Pescoço: O pescoço deve ser de tamanho adequado para que o cão exerça a função de retriever facilmente. Deve ser musculoso e sem barbelas. O pescoço deve subir forte a partir dos ombros com uma curva moderada. O pescoço curto e grosso ou "pescoço de ovelha" são incorretos.

Dorso: O dorso é forte e a linha de dorso é nivelada da cernelha até a garupa, quando parado ou em movimento. De qualquer maneira, o lombo deve mostrar evidência de flexibilidade no esforço atlético.

Corpo: O Labrador deve ter o tronco curto, com bom arqueamento de costelas, proporcionando um peito moderadamente largo. O Labrador não deve ter o peito estreito; dando a impressão de espaço vazio entre as patas dianteiras nem deve ter a frente larga e achatada, como um bulldog. A conformação correta de peito deve resultar no estreitamento entre as patas dianteiras que permita o movimento irrestrito dos membros anteriores. Uma largura de peito que seja muito larga ou muito estreita que comprometa uma movimentação eficiente e o vigor do cão é incorreta. Exemplares com as laterais chanfradas não são típicos da raça; igualmente questionáveis são exemplares com o peito arredondado ou em forma de barril. A linha inferior é quase reta, com uma pequena ou nenhuma curvatura em animais maduros. O lombo deve ser curto, largo e forte; estendendo para quadris bem desenvolvidos e potentes. Quando visto de lado, o Retriever do Labrador deve apresentar um antepeito bem desenvolvido, mas não exagerado.

Cauda: A cauda é uma característica peculiar da raça. Deve ser muito grossa na base, gradualmente estreitando-se para a ponta, de tamanho médio, não passando do jarrete. A cauda não deve ter franjas e deve ser espessamente coberta em toda sua extensão pela pelagem curta e densa característica da raça, dessa maneira tendo aquela aparência roliça descrita como "cauda de lontra". A cauda deve seguir a linha de dorso em movimento ou em repouso. Ela pode ser portada alta, mas não deve se curvar sobre o dorso. Caudas extremamente curtas ou finas e longas são falhas sérias. A cauda completa o equilíbrio do Labrador dando uma linha fluída do topo da cabeça até a ponta da cauda. Encurtamento ou qualquer alteração no comprimento ou no porte natural da cauda é desqualificante.

Anteriores
Os anteriores devem ser musculosos, bem coordenados e equilibrados com os quadris.

Ombros: Os ombros devem ser bem relaxados, longos e inclinados, formando um ângulo com a parte superior das patas dianteiras de aproximadamente 90 graus, permitindo que o cão mova suas patas dianteiras facilmente com força e alcance. O ideal é que as omoplatas sejam do mesmo tamanho que a parte superior dos membros anteriores. Omoplatas retas, partes superiores dos membros anteriores curtas, ombros excessivamente musculosos ou pesados, restringindo a livre movimentação, são incorretos.

Patas Dianteiras: Quando vistas pela frente, as patas devem ser retas com boa e forte ossatura. Excesso ou falta de ossatura são indesejáveis, assim como exemplares de patas curtas e com excesso de ossatura não são típicos da raça. Vistos de lado, os cotovelos devem estar diretamente abaixo da cernelha, e as patas dianteiras devem ser perpendiculares ao chão e bem debaixo do corpo. Os cotovelos devem estar próximos das costelas sem serem frouxos. Cotovelos virados para dentro ou para fora interferem com a livre movimentação e são falhas sérias. As quartelas devem ser fortes e curtas, e devem ser um pouco inclinadas em relação à linha perpendicular da perna. Os pés são fortes e compactos, com os dedos bem arqueados e almofadas bem desenvolvidas. Os ergots podem ser removidos. Pés inclinados, pés de lebre, com os dedos excessivamente dobrados, ou pés virados para dentro ou para fora são falhas sérias.

Posteriores
Os posteriores do Labrador são amplos, musculosos e bem desenvolvidos desde a cabeça do fêmur até o jarrete, com joelhos bem formados e jarretes curtos e fortes. Vistos de trás, as patas traseiras são retas e paralelas. Vistas de lado, a angulação das patas traseiras deve estar em equilíbrio com as dianteiras. As patas traseiras devem ter ossatura forte, serem musculosas com angulação moderada nos joelhos, e com coxas poderosas e claramente definidas. O joelho é forte e não há deslizes da patela durante o movimento ou parado. As articulações do jarrete são fortes, bem prolongadas e não deslizam ou hiper-estendem em movimento ou parado. As articulações tanto do joelho assim como do jarrete devem proporcionar o máximo equilíbrio entre impulso e tração. Quando parado os dedos das patas traseiras devem estar ligeiramente atrás da garupa. Excesso de angulação causa uma inclinação na linha de dorso que não é típica na raça. Os pés são fortes e compactos, com os dedos bem arqueados e almofadas bem desenvolvidas. Jarretes de vaca, jarretes abertos, jarretes de foice e excesso de angulação são sérias falhas estruturais e devem ser punidos.

Pelagem
A pelagem é uma característica típica do Retriever do Labrador. Deve ser curta, lisa e muito densa, dando uma impressão de aspereza ao toque. O Labrador deve possuir um subpêlo macio e resistente às intempéries, que dê proteção contra a água, o frio e todos os tipos de solos. Uma leve ondulação no dorso é admissível. Pelagens lanosas, muito macias, ralas e lisas não são típicas da raça e devem ser severamente penalizadas.

Cores
As cores da pelagem do Retriever do Labrador podem ser Preta, Amarela ou Chocolate. Qualquer outra cor ou combinação de cores é desqualificante. Uma pequena mancha branca no peito é admissível, mas não é desejável. Pelos brancos provenientes da idade ou de cicatrizações não devem ser interpretados incorretamente como arlequins.

Preto: Os exemplares pretos devem ser totalmente pretos. Pretos com marcações arlequins ou canela devem ser desqualificados.

Amarelo: Os amarelos podem variar do tom vermelho raposa até o creme claro, com variações de nuances nas orelhas, dorso e na parte inferior do corpo do cão.

Chocolate: Os chocolates podem variar do chocolate claro ao chocolate escuro. Chocolates com marcações arlequins ou canela devem ser desqualificados.

Movimentação
A movimentação do Retriever do Labrador deve ser livre e sem esforço. Quando se observa um Labrador se movimentando, não deve haver sinais de cotovelos pra fora. De preferência, os cotovelos devem ser mantidos juntos ao corpo, sem as patas estarem fechadas. Movendo diretamente à frente sem marchar ou trançar, as patas devem formar linhas retas, com todas as partes e movendo no mesmo plano. Ao se observar o cão por trás, deve-se ter a impressão de que as patas traseiras se movem, na medida do possível, em uma linha paralela com as patas dianteiras. Os jarretes devem fazer sua parte do trabalho, flexionado-se bem, dando a impressão de poder e força. Quando visto de lado, os ombros devem se mover livremente e sem esforço, e as patas dianteiras devem alcançar à frente próximo ao solo na extensão. Uma movimentação curta e picada, ou uma ação de joelho alto indica ombros retos; patinhar indica quartelas longas e fracas; e uma movimentação traseira curta e forçada indica um conjunto traseiro reto; todas são falhas sérias. Falhas de movimentação interferindo na atuação incluindo ziguezaguear, movimentar-se lateralmente; cruzando as patas; com ação alta de joelhos, patinhar; e movimentação curta e picada, devem ser severamente penalizadas.

Temperamento
O verdadeiro temperamento do Retriever do Labrador é uma marca registrada da raça, assim como a "cauda de lontra". O caráter ideal é do tipo amigável, disposto e obediente; ávido por agradar e não agressivo com os humanos ou com os animais. O Labrador atrai as pessoas; seu estilo gentil, inteligência e adaptabilidade fazem dele o cão ideal. Agressividade em relação a humanos ou animais, ou outra evidência de timidez em um adulto deve ser severamente penalizada.

Desqualificações
1 Qualquer desvio do tamanho aconselhado no Padrão.
2 A trufa completamente rosa ou a falta de pigmento.
3 Borda da pálpebra sem pigmento.
4 Encurtamento ou qualquer alteração no tamanho ou na maneira de portar a cauda.
5 Qualquer outra cor ou combinação de cores que não sejam as definidas no padrão.

 

Voltar




Canil Mônaco Labrador
Ruth - Kildare


Whatsapp e Ligação: Ruth (11) 98626-7420 - TIM - Kildare (11) 97785-6764


Visitas: favor agendar - horário segunda a domingo das 11:00 as 17:00 horas
E-mail: canilmonaco@canilmonaco.com.br

  CBKC   FCI   Hemovet   R&R Assistência Diagnóstico Veterinário   Pro Plan   MASTERCARD   VISA   DINERS

Copyright © 2010 Canil Monaco Labrador. Todos os Direitos Reservados.
O Conteúdo deste Site não é publico.
Por favor não faça download ou copia de nossas imagens.

Atualizado em 20/10/2019